Gamificação na Educação: tantos benefícios não podem fazer mal!

Por Eduardo Aquino, estagiário de Marketing e criador de conteúdos na Ekoá – Jogos e Gamificação

.

    Já contextualizamos a importância de se gamificar a educação e de como esse processo está deixando se tornar uma tendência e se tornando uma necessidade no nosso artigo [nome e link do artigo]. Agora, vamos nos aprofundar nos tamanhos benefícios que gamificar a educação trazem para o processo educativo. São muitos esses benefícios, não vou conseguir citar todos mas vou falar sobre alguns que eu vejo maior importantância em destacar.

    Um dos primeiros benefícios que o processo traz é a interatividade. Quando, em uma dinâmica gamificada em sala de aula, o aluno deixa de ser apenas um aluno. Agora ele é um jogador, como qualquer outro no jogo. Mas não só ele, o professor também se torna uma peça do jogo. Isso resulta na quebra da barreira entre aluno e professor. E outra, essa interatividade dá voz ao aluno. Alguns alunos que antes seriam tímidos ou de poucas palavras, agora precisam desempenhar uma função, um papel no jogo. Não precisa necessariamente ser uma dinâmica oral, mas pelo simples fato de ele ter um papel atribuído à ele, ele percebe a urgência de superar sua dificuldade para desempenhar tal função na atividade. Essa interatividade deixa os alunos muito mais confortáveis e determinados a se expressarem e se comunicarem com os participantes do jogo.

    Outro benefício da gamificação é a inovação do processo pedagógico. Fugir do ensino tradicional pode proporcionar grandes benefícios não só para sua aula mas também para sua escola. Novos modelos de aprendizagem geram novas perspectivas de ensino para os alunos, novas formas de os alunos aprenderem conteúdo que talvez não aprenderiam na forma tradicional. Mas não só isso, é uma visão empreendedora. Inovar o processo pedagógico pode significar uma diferenciação no mercado e do fortalecimento da sua marca por estar fazendo coisas inovadoras que outras escolas ou instituições não estão. É um ponto a se levar em consideração quando se é um administrador na área educacional. 

    A progressão dos alunos também é outro ponto que se transforma quando se gamifica. O professor passa a ter mais facilidade de monitorar o progresso e medir o desempenho dos alunos. E eles também. Com essa maior clareza neste processo, também é facilitado o processo de elaboração de estratégias para a aprendizagem. Fica mais nítido em que aspectos os alunos estão bem ou mal, quais habilidades e competências socioemocionais eles precisam desenvolver melhor e também o que você pode mudar na sua estratégia para otimizar o processo de aprendizagem de cada um, dando até a  possibilidade de personalizar o ensino para cada demanda. 

    Um outro ponto que deve ser abordado é a redução de custos. Muitos acham que para começar essa “onda” de gamificação são necessários investimentos absurdos mas a verdade é que, para gamificar, você não precisa gastar um centavo. A não ser, é claro, que você queira usar alguma abordagem já existente e que custe dinheiro. Porém, para gamificar você pode simplesmente criar seu game de graça. Além disso, existem também modelos de gamificação grátis que podem ser usadas, tanto no âmbito digital, quanto no analógico.

    Agora, vamos falar sobre os benefícios cognitivos de gamificar sua aula. A competição saudável e a ambição de ser recompensado desenvolvem nos aluno uma concentração muito maior do que uma aula tradicional com uma hora do professor falando e falando lá na frente da turma. Essa concentração permite também aos alunos, uma melhora na absorção do conteúdo, na assimilação entre teoria e prática, além de melhorar a memória, por serem experiências de aprendizagem diferentes e memoráveis. Esse engajamento por parte dos alunos também prova outra coisa: o processo de adquirir conhecimento se torna muito mais prazeroso para eles. Claro que não funciona para todos, mas usando a estratégia de gamificação certa, você vai ver que o processo de aprendizagem vai ficar mais leve para os alunos e vai surtir efeito na grande maioria deles. 

Finalmente, um ponto que não podia deixar de ressaltar são as habilidades e competências que a gamificação desenvolve em sala de aula. Em atividades em grupo, o espírito de liderança é desenvolvido por alunos que puxam a responsabilidade para si e guiam a equipe junto com eles, além de todo o grupo desenvolver um espírito de equipe. O senso de urgência para a resolução dos problemas desenvolve criatividade para a resolução desses problemas, competitividade, pensamento crítico e a persistência para o alcance dos objetivos. Na gamificação digital, desenvolvem linguagem tecnológica. Dependendo do game, eles podem até desenvolver outras habilidades como autonomia e acolhimento do erro. Enfim, são infinitas habilidades e competências que os participantes desenvolvem, a chave é achar a estratégia certa para desenvolver as habilidades e competências que você quer extrair deles.

Eu poderia ficar o dia inteiro escrevendo os benefícios da gamificação aqui. Mas, foram esses pontos que eu achei importante frisar para convencê-lo, mais uma vez, que a gamificação na educação já se transformou de tendência à necessidade. Uma abordagem com tantos benefícios, não pode fazer mal, não é mesmo?

Fontes:

Quero Educação

Sophia

Blog.ipog.edu

Ensino Interativo

Thiago Almeida

Ellux Consultoria

 

 

.

A Ekoá Jogos e Gamificação tem como propósito elevar a realidade das empresas colocando as pessoas no centro da experiência.

Criamos experiências que fundem o mundo físico e o digital de forma a promover o engajamento e atingimento de objetivos corporativos.

 

 

 

 

2020-08-07T17:26:58-03:00