Cinco ações que acabam com
a experiência online

Hoje em dia, com a profusão de eventos online, é comum o espectador se deparar com muitas falhas técnicas, tendo a sensação de amadorismo na condução do processo. Resultado: isso compromete a aderência e interesse das pessoas e, de quebra, impacta negativamente na imagem da empresa ou do profissional por trás da iniciativa.

Em outras palavras, o que foi pensado para atrair a atenção do público acaba por causar repulsa. E não é isso que gente deseja, não é verdade?

Pouca gente sabe, mas, em média, o foco da atenção de uma pessoa sobre a tela dura – no máximo – aproximadamente 90 minutos. Ou seja, não adianta promover um evento longo, pois ele não terá resultado. Faz sentido?

Para facilitar a sua vida, a gente elencou cinco dicas de ações que, se consideradas, poderão minimizar brutalmente as possibilidades de erros na organização de seu evento online. Confira:

1. Defina seu tipo de evento!

Não confunda as bolas: cada evento tem uma especificidade. Alguns são mais formais; outros completamente informais. E tudo depende da característica, do objetivo e (bingooooo!) do público. Sim, o público determina muita coisa, sobretudo a linguagem, o tempo, o tom que será dado pelo apresentador, apresentadores ou demais convidados participantes. No final das contas, você irá perceber que o público determina praticamente tudo! A depender do tipo, seu evento online vai necessitar de uma estrutura e de uma plataforma específica. Não cometa a gafe de economizar neste item, usando serviços gratuitos. O investimento precisa ser proporcional à importância estratégica do seu evento online. Portanto, pela hóstia consagrada, não me vá passar vexame, hein?

2. Defina seu tempo!

Já participou de eventos intermináveis ou que não contextualizam o público que chegou atrasado, por exemplo? É péssimo, né? A vontade que a gente fica é de só marcar presença e sair à francesa. Ter convidados relevantes pode trazer curiosos e ótimos números para o seu engajamento. Mas saiba driblar o tédio! Defina, antecipadamente (e controle) o tempo máximo de falas. Discursos muito promocionais? Fuja! E oriente seu convidado quanto ao tom, tempo, maneira e profundidade do que deve ser dito. Ah! Defina um intervalo! Estamos em casa, mas o coffee break, ainda que à distância, proporciona possibilidades de networking – mesmo que virtuais, no espaço dedicado ao bate-papo, que a maioria das plataformas dispõem.

3. Defina uma lógica assíncrona!

Uma informação básica é lembrar que seu evento poderá ser assistido depois. Pensando nesta lógica, lembre-se de não ficar só parado olhando para a câmera por séculos esperando dar a hora do evento. Aproveite cada minuto. É péssimo se organizar para participar de um evento, que demora pra começar, e não ter ninguém para nos recepcionar. Aproveite a audiência. Você teve um trabalhão para conquista-la. Nesta fase introdutória, esperando pelos retardatários, oriente o anfitrião a contar uma história interessante ou, quem sabe, alguma situação divertida dos bastidores. A intenção é começar com chave de ouro, tornando interessante o evento online, não dando insumo para os “memistas” de plantão.

4. Definir estratégias para trazer engajamento!

É um porre fazer tudo certinho e não ter engajamento, não é verdade? Se você precisa promover um evento online, e sabe que seu engajamento ainda é baixo (mas que precisa de visibilidade para “pagar o leite das crianças”), tenha em mente que, na real, você necessita de estratégias que gerem interação. A gamificação é uma delas. Sabe como funciona? A gamificação em eventos corporativos deve servir como estímulo para a participação ativa e engajamento espontâneo dos participantes, com tudo que está sendo informado, debatido e até aproveitado, nos momentos de lazer. Ela favorece que as emoções sejam evocadas durante sua realização. E o mais importante: naturalmente, quando somos expostos a um sistema de tarefas, passagem de níveis e recompensas, nossa atenção, interesse e senso de competitividade tendem a ser despertados. Ah! Fique de olho nos assuntos do momento, aproveite as hashtags (#) e impulsione seus conteúdos. É tiro e queda!

5. Defina táticas de emergência!

Dica rápida e muito importante aqui, hein! Organize-se e recorra a profissionais especializados. Não ache que você dá conta de fazer tudo sozinho, que é furada! Cada um no seu quadrado! Em resumo, saiba como usar e qual a ferramenta mais adequada de transmissão! Outra dica: antes que seu convidado pergunte, no ar, “o que acontece se eu clicar nesse botão?”, faça testes com todos os envolvidos. Todos precisam entender a lógica de funcionamento da ferramenta! Afinal, a união faz mais do que açúcar, né? E não esqueça: prepare sua equipe para emergências! Tarefas não automatizadas podem surgir e todos têm que estar prontos para atuar nos imprevistos. Por fim, lembre-se de priorizar uma boa rede wi-fi. Isso vai lhe poupar de vexames ao vivo e a cores.

Se achou que fez sentido até aqui, você não imagina o que uma metodologia completa de gamificação em eventos pode proporcionar ao seu negócio!

Pra finalizar, se já viveu alguma situação engraçada em algum evento, compartilhe conosco sua experiência nos comentários! Vamos construindo juntos a partir de nossas vivências. Combinado?

Até mais!

A Ekoá Jogos e Gamificação tem como propósito elevar a realidade das empresas colocando as pessoas no centro da experiência.

Criamos experiências que fundem o mundo físico e o digital de forma a promover o engajamento e atingimento de objetivos corporativos.

 

 

 

 

2020-11-18T12:32:51-03:00