Não espere a pandemia acabar para capacitar a sua equipe. Faça isso online!

Muita gente considera que este ano já acabou. E que não há muito mais o que fazer pelos negócios e, em especial, pelas equipes que estão por de trás dos processos. Ledo engano. Têm avançado os empreendedores que entenderam que o movimento é justamente o contrário: aproveitar o restinho de 2020 que ainda falta para capacitar os colaboradores para o ano que se avizinha.

Mas como investir em capacitação em plena pandemia? A resposta não poderia ser mais óbvia: usando as ferramentas digitais. Sim, elas de novo! E vá se acostumando: o caminho é este e parece não ter mais volta!

Há que diga que as vantagens são enormes, a começar pela quebra da barreira geográfica, isto é, não é necessário realizar a capacitação apenas com uma equipe local; e o custo com deslocamento não impacta mais no investimento como um todo. Assim, passa a ser possível capacitar colaboradores que estejam em qualquer parte do mundo. Muito foda isso, né?

A segunda vantagem é a capacitação de forma assíncrona. Na prática, isso significa que, geralmente, quando se aplica um treinamento presencial, é necessário estabelecer alguns protocolos de contingência para que aquele setor não fique desguarnecido. Portanto, às vezes, é necessário que alguém se sacrifique, não participando da capacitação, ou não esteja 100% focado na atividade, uma vez que precisa ficar atento às emergências oriundas da empresa.

A capacitação online permite, então, que cada participante execute as tarefas a seu tempo, dentro de um prazo estimado, permitindo até mesmo um escalonamento de horários dos participantes.

Mas como podem ser estas capacitações? Em virtude da avalanche de plataformas para eventos digitais, há inúmeras ferramentas disponíveis hoje no mercado que possibilitam treinamentos com transmissão de conteúdo, ou seja, aulas online. Existe também plataformas LMS (Learning Manegement System), que são voltadas para o ensino e possuem plugins e funcionalidades que tornam o aprendizado muito mais interessante. Por fim, temos, também, plataformas que abarcam tecnologias que possibilitam, em um ambiente personalizado, a transmissão de conteúdo, a interatividade com o conteúdo; e a interação entre pessoas e palestrante. Tudo isso com uma camada de ludicidade, visando promover o engajamento do participante.

Pode-se dizer que, hoje, qualquer atividade de interação com o mundo digital é considerada um evento online, o que implica que até mesmo as reuniões em aplicativos de videoconferência são eventos online.

Neste cenário, diversas plataformas voltadas para eventos maiores, como congressos e conferências, estão se tornando cada vez mais atrativas para capacitações que exijam algo além da simples transmissão de conteúdos e troca de arquivos, uma vez que estas plataformas possuem ambientes personalizados e funcionalidades únicas, como gamificação, por exemplo.

Capacidade dos eventos online

Vale destacar que cada treinamento é um caso único, mas, de modo geral, não existe limite para a quantidade de pessoas que possam ser treinadas. Este é, por assim dizer, um efeito colateral por não termos mais as barreiras geográficas como impedimento.

Em outras palavras, um ambiente virtual pode acolher quantos participantes o servidor utilizado pela plataforma suportar. Um outro fator determinante de quantidade de participantes são as atividades planejadas. Quanto maior a quantidade de participantes, maior a equipe de apoio para operacionalizar o treinamento.

Ferramentas

As ferramentas mais utilizadas em treinamentos online são aplicativos de videoconferência como Zoom e Meeting; apps agregadores de serviços com acesso compartilhado simultâneo, como G-Suit e Microsoft Teams; e plataformas LMS (Learning Manegement System), como Moodle e Coursera. Estas são as principais ferramentas para uma capacitação online padrão, mas a inovação é tema constante em todos os âmbitos; e na capacitação não é diferente.

Portanto, plataformas que, originalmente, eram destinadas para congressos e conferências, podem se tornar o ambiente ideal para um treinamento inovador porque contemplam tecnologias e funcionalidades que não são encontradas nestas outras já citadas, como NFC, RFID, gamificação, entre outras.

E quanto custa?

Este tipo de capacitação é mais barato? A resposta é sim! Ainda é um mercado muito tímido e não há estudos mais aprofundados que indiquem, com precisão, a economia feita, mas ao compararmos uma capacitação simples, como um curso, por exemplo, podemos constatar que o custo para a produção digital é menor do que para a presencial porque dispensa estrutura, deslocamento e qualquer tipo de material físico; e ainda trazem como benefício o conteúdo pronto para ser distribuído a contento.

 

Necessidade trazida pela pandemia 

A pandemia forçou o isolamento social, o que impediu que os treinamento tradicionais ocorressem nos últimos meses. Como os cursos EaD já estavam consolidados, este novo cenário serviu para alavancar esse tipo de serviço. Contudo, as capacitações mais complexas ficaram órfãs de ferramentas mais robustas e que proporcionassem um maior engajamento, trazendo maior efetividade para outros tipos de capacitações. Desta forma, surgiu a necessidade de adaptar antigas metodologias, bem como, criar novas para o formato digital.

O público deste tipo de capacitação

Qualquer um com acesso à Internet pode participar de uma capacitação online. Entretanto, a complexidade do treinamento pode exigir menor ou maior conhecimento e astúcia no manuseio de ferramentas digitais. Falando em bom português, um treinamento que exija a manipulação de várias ferramentas digitais não convencionais requer do participante uma habilidade maior com as tecnologias.

E quais as dicas pra quem está escolhendo um fornecedor nesta área? A primeira coisa que se deve considerar, ao escolher o fornecedor, é que um treinamento não pode ser considerado apenas do ponto de vista teórico. Deve-se pensar na capacitação como uma experiência e quanto melhor a vivência do participante, mais efetiva é a capacitação.

Dito isso, as pessoas devem procurar fornecedores que consigam integrar tanto a transmissão quanto atividades que conectem as pessoas ao conteúdo, fazendo com que o treinamento seja memorável e significativo. É, no final das contas, é isso que vai fazer com que a capacitação seja efetiva.

O que está esperando? Arregace as mangas e planeje logo a próxima capacitação da sua equipe. O seu negócio e, por que não, as pessoas que te ajudam a tocar o dia a dia dele merecem! 😉

Seguimos juntxs!

Produção de Conteúdo:
PROTIVA COMUNICAÇÃO
Texto: Flávio Resende
Revisão e Edição: Flávio Resende
Data: 6/11/2020

A Ekoá Jogos e Gamificação tem como propósito elevar a realidade das empresas colocando as pessoas no centro da experiência.

Criamos experiências que fundem o mundo físico e o digital de forma a promover o engajamento e atingimento de objetivos corporativos.

 

 

 

 

2020-12-03T14:49:58-03:00