Você está preocupado com o futuro dos eventos da sua empresa?

Desde março, estamos enfrentando a pandemia ocasionada pelo novo coronavírus, um inimigo invisível que nos desafia diariamente. Assim como em todas as esferas da vida, as empresas tiveram que buscar novos meios para sobreviver sem que a crise da Covid-19 as atingisse por completo.

Inúmeros empresários compreenderam que, na prática, as coisas não são tão simples assim. Atividades comuns, como a produção de eventos corporativos, ficaram em segundo plano por um longo período até que o mundo virtual abriu as portas para uma nova era.

O mundo não parou. Nós, da mesma forma, não podemos estagnar em um mesmo lugar. Claro que, por um período, foi preciso diminuir a velocidade para pensar e planejar o dia de amanhã. Contudo, ainda vemos a insegurança de grandes empresários para arriscar. O futuro já é agora e, a cada momento que passa, ele se renova.

No mundo dos negócios, sabemos que é fundamental inovar para se manter no mercado. Sempre trazemos a questão da criação dos eventos como uma ferramenta capaz de dar um “gás” extra para esse processo. Esse tipo de recurso traz resultados e consegue, acima de tudo, promover boas mudanças internas e, quem sabe, até mesmo externas!

As empresas são formadas por pessoas e, para que haja sincronicidade na equipe, é preciso investir na qualidade de serviço oferecido para os colaboradores. Com isso, surgem as capacitações, cursos, workshops, palestras, confraternizações, congressos e outros tipos de eventos, que enriquecem o funcionário no âmbito profissional e pessoal.

Entretanto, a necessidade de se adequar ao cenário em que vivemos é latente. Nosso dia a dia é digital e, felizmente, não podemos mais fugir disso! Dentro do mercado de eventos, por exemplo, encontramos soluções para que as empresas não parassem. A migração para o digital é importante e deve ser discutida com atenção.

Já sabemos que a maioria dos eventos, atualmente, pode ser realizada de forma online, desde que adaptados. Com profissionais especializados em design de experiências e UI/UX, esse formato traz recompensas incríveis que, talvez, nunca tivessem sido contabilizadas antes.

Contudo, para isso, é preciso se manter atualizado e ciente das mudanças constantes que o mercado enfrenta! Para esse ponto, nossa dica é de acompanhar duas ou três empresas especializadas para seguir a evolução nesse meio. Além disso, é fundamental sair do círculo vicioso e expandir os horizontes.

Se você se identificou com tudo isso, então, agora é hora de colocar a mão na massa! Que tal conferir algumas dicas sobre o assunto? Veja:

Estude o público-alvo

Estudar o público que se quer alcançar é fundamental, mas para que esse processo se torne mais relevante, a pesquisa deve ser aprofundada. Além de dados demográficos, a empresa deve entender quais as dores do seu público; o que ele pensa; o que ele vê; e como ele se atualiza. Uma ótima ferramenta para realizar esse levantamento é o mapa de empatia. Por meio do Canvas, é possível preencher essas informações e dispô-las de forma visual.

Programação

#DicaDeOuro: tenha sempre em mente o que você deseja realizar no evento. É preciso estar ciente dos palestrantes presentes, do tema central, das oficinas que serão oferecidas e das atividades gerais. Tudo deve dialogar com o objetivo desse projeto. Nessa etapa, é possível utilizar o blue print, uma ferramenta comum no design de serviços. Com ele, as atividades do projeto podem ser estabelecidas desde a concepção até a execução. Com isso, torna-se mais factível correlacionar as tarefas e etapas.

Fornecedor

Essa terceira dica dialoga com as duas anteriores. Depois de definir essas etapas, estabelecer o serviço com um fornecedor se torna mais simples. Com as informações em mãos, o orçamento é feito com facilidade. Mas fique atento! Se a empresa não se dedicar ao briefing, o resultado final pode não sair como esperado, apesar de todo o alinhamento prévio com o fornecedor escolhido.

Objetividade

Seja claro e específico com o que deseja. Nos ambientes virtuais, cada detalhe acarreta em uma série de implicações que, futuramente, podem impactar tanto na performance quanto no custo do evento. Então, nada de deixar as coisas subentendidas, hein?

Orçamento

Não perca o seu budget de vista. É comum que pequenas alterações surjam com o projeto já em andamento. Isso significa que algo planejado não funcione exatamente como esperado, mas como dissemos, uma alteração, por mais simples que pareça pode incidir diretamente no custo do projeto. Estando ciente desse aspecto, tudo se torna mais simples e fácil.

Produção de Conteúdo:
PROTIVA COMUNICAÇÃO
Texto: Gabriella Collodetti
Revisão e Edição: Flávio Resende
Data: 23/11/2020

 

A Ekoá Jogos e Gamificação tem como propósito elevar a realidade das empresas colocando as pessoas no centro da experiência.

Criamos experiências que fundem o mundo físico e o digital de forma a promover o engajamento e atingimento de objetivos corporativos.

 

 

 

 

2020-12-09T15:46:12-03:00