Uma conversa franca sobre eventos presenciais

Apesar de sermos adeptos ao mundo virtual, não vamos mentir: os eventos presenciais não morreram! No momento, eles passam por um período de hibernação que poderá gerar uma boa reflexão sobre o seu real desempenho nos dias de hoje.

O fato é que o ser humano ama a interação física. Para nós, brasileiros, esse olho no olho é mais fundamental ainda. Não é à toa que somos mundialmente conhecidos como um povo caloroso, não é?

Infelizmente, com a Covid-19 no nosso país, o distanciamento social se tornou necessário. Entretanto, dentro do mercado de eventos, isso não foi motivo para desânimo. As técnicas digitais se mostraram extremamente competentes para que as trocas de experiências não parassem.

Mas, entrando para um lado mais realista de todo o overview que estamos oferecendo, é preciso admitir que muitos nichos ainda dependem dos eventos físicos para que o projeto atinja por completo o público, principalmente dentro da área de entretenimento.

Se em algum momento você ouvir que os eventos presenciais não voltarão, desconfie. A tendência, na verdade, é outra. Estamos caminhando para um mundo onde esse mercado se tornará híbrido, isto é, oferecerá ocasiões para serem apreciadas de forma online e também offline.

Não consegue imaginar esse cenário? Bom, a gente pode explicar! Mesmo em eventos presenciais, é possível criar ambientes virtuais que elevem a experiência do usuário por meio da gamificação.

Esse método, como já explicamos, utiliza dinâmicas de jogos para promover o engajamento entre pessoas. Além disso, é possível resolver problemas, melhorar o aprendizado e motivar ações por meio desses ambientes previamente preparados.

Por isso, durante a pandemia, pudemos ver um crescimento do universo virtual. O segredo de tanto sucesso é essa pitada de tecnologia, com plataformas gamificadas, que coloca o público como protagonista da jornada. Dessa forma, cada participante se sente mais importante e motivado a participar do evento.

Cá entre nós, não vemos esse envolvimento na maioria dos eventos presenciais, não é? Um baita erro, pois é preciso mostrar às pessoas que elas não são apenas números dentro de uma multidão. Estamos falando de vidas e histórias individuais! É preciso saber explorar esse lado mais humano dentro do mercado.

#DicaEkoá

Agora que você já sabe que é possível gamificar um evento presencial, há quatro aspectos que ainda limitam o desenvolvimento dos eventos físicos e que precisam ser discutidos. Confira:

1) Disponibilidade local

Eventos físicos sofrem com a limitação de espaço em um auditório. O meio virtual, por outro lado, não passa por essa mesma situação, já que é possível receber várias pessoas ao mesmo tempo – e de diferentes regiões – em uma mesma plataforma.

2) Comunicação

É difícil garantir que avisos e comunicados cheguem até o ouvido de todos os participantes em um evento presencial. Para projetos online, a tela do celular ou do computador é o suficiente para permitir que o público veja os anúncios globais enviados para os usuários

3) Foco único

A atenção do participante não pode ser divida! Uma atividade desenvolvida presencialmente exige total atenção do público. No campo digital, é possível conciliar o encontro virtual com outras tarefas, desde atender uma ligação até mesmo fazer aquele famoso lanchinho da tarde. Ai, ai… que delícia!

4) Tirar dúvidas

Normalmente, em um evento presencial, o participante precisa encontrar algum organizador – ou com uma cabine de informações – para tirar as suas dúvidas. Já no virtual, há a possibilidade de receber o suporte de um profissional de forma remota. Além disso, é comum que haja uma página de perguntas frequentes apenas para facilitar a navegação do usuário.

Produção de Conteúdo:
PROTIVA COMUNICAÇÃO
Texto: Gabriella Collodetti
Revisão e Edição: Flávio Resende
Data: 14/01/2021

A Ekoá Jogos e Gamificação tem como propósito elevar a realidade das empresas colocando as pessoas no centro da experiência.

Criamos experiências que fundem o mundo físico e o digital de forma a promover o engajamento e atingimento de objetivos corporativos.

 

 

 

 

2021-01-18T14:40:50-03:00