O que é inteligência emocional, qual a importância e como trabalhar a minha?

Você é o tipo de pessoa que se irrita com tudo? Especialmente, no trabalho? Atenção, pois isso pode estar ligado à inteligência emocional. 

É provável que você já tenha ouvido falar sobre esse conceito, mas talvez não saiba exatamente o que ele significa. 

Ou, então, até sabe, porém, não tem ideia da importância de trabalhá-la para a sua vida pessoal e/ou profissional. 

Acompanhe nas próximas linhas informações importantes sobre o tema e dicas preciosas para melhorar sua inteligência emocional. Boa leitura!

O que é a inteligência emocional?

Emoções. Algo tão natural do ser humano, mas que pode aflorar de maneiras completamente diferentes de uma pessoa para outra.

Isso acontece tanto pelas experiências de vida quanto pela inteligência emocional, também conhecida como Quociente Emocional. 

Assim, conceitualmente pode-se dizer que esse termo refere-se à maneira como você controla o que sente no dia a dia.

Por exemplo, quando você erra, como se sente em relação a isso? Com raiva? Deprimido? Ou, usa o erro como motivador para melhorar?

A forma como você age e reage vai definir seu sucesso ou não em algo que pretende fazer. Por isso, a importância de lidar com as emoções. 

A origem do conceito foi feita por dois pesquisadores, Peter Salavey e John Mayer. Entretanto, a sua popularização foi em 1996, quando Daniel Goleman publicou um livro sobre o tema.

Ele é um psicólogo, escritor e jornalista que foca suas pesquisas e trabalhos na habilidade que o cérebro tem de se reinventar e influenciar a vida.

Então, fica claro que o estímulo emocional é capaz de ditar seu comportamento e pensamento, seja de maneira positiva ou negativa. 

Inclusive, essa “reação” pode desencadear uma influência no ambiente e nas pessoas que o dividem com você. 

Assim como, a inteligência emocional, também gera empatia e permite que você se conecte ou não socialmente com outros indivíduos. Ah, e com as emoções deles!

Por que o Quociente Emocional é importante?

Como você viu, lidar com as emoções de maneira positiva é uma forma de melhorar relações sociais.

Além disso, também influencia o seu comportamento e pensamento, podendo gerar consequências no sucesso de alguma ação ou objetivo. 

Só por esses fatores, aprimorar a inteligência emocional já faria toda a diferença na sua vida e relacionamentos. 

Porém, esse cuidado também irá proporcionar uma vivência mais equilibrada, motivada e onde o que realmente importa terá relevância. 

Com o tempo, você aprenderá o que vale a pena investir sua energia e o que deve servir de lição. 

Assim como, pode te ajudar a subir na carreira, a lidar com críticas construtivas e a prosperar pessoal e profissionalmente. 

A boa notícia é que durante toda a sua vida você poderá trabalhar e melhorar esse quesito. Inclusive, esse aprendizado pode começar na infância!

Por isso, a inteligência emocional conta com cinco elementos básicos:

  • Autoconsciência: percepção e conhecimento dos sentimentos e gatilhos que desencadeiam as emoções, especialmente as negativas;
  • Motivação: com visão de longo prazo, avaliação de ações e, consequentemente, melhora da produtividade;
  • Habilidades sociais: sabendo trabalhar em equipe, com habilidade de comunicação e capacidade de gerenciar relacionamentos;
  • Empatia: estímulo a ser um bom ouvinte, julgando menos, ouvindo mais e sabendo compreender os desejos e necessidades do outro;
  • Auto-regulação: dizer não a impulsividade e sim racionalizar as consequências de comportamentos, pensamentos e ações.

Como desenvolver a inteligência emocional?

Com certeza você já pode perceber que as influências da inteligência emocional na vida pessoal e profissional são inúmeras.

Inclusive, é possível ver que ela te ajuda, de fato, a ser uma pessoa melhor. Tanto consigo mesmo, com menos “pressão”, quanto com o próximo. 

Então, para desenvolver essa habilidade, por toda a vida, tenha alguns cuidados!

1) Seja observador

Perceba o que te leva a reagir e faça o mesmo com quem está ao seu redor. Seja honesto com seus gatilhos emocionais e tente ser mais aberto a entender os das outras pessoas.

2) Tenha humildade

É bom saber que ser humilde não tem nada a ver com falta de confiança. Mas, sim, com aceitar críticas construtivas, avaliar com calma o que as pessoas dizem e tentar sempre melhorar.

Também se aplica a deixar o outro brilhar, especialmente no ambiente de trabalho. Saiba vibrar com a conquista dos seus colegas, assim como eles vibrarão com a sua!

3) Se autoavalie constantemente

Com certeza você já fez algo ou falou alguma coisa que se arrependeu no minuto seguinte. 

Com a autoavaliação, você melhora a inteligência emocional e também consegue estar mais consciente do que te faz “explodir”. Além de identificar esses pontos, tente melhorá-los, ninguém é perfeito!

4) Aprenda com o erro

Situações de estresse estão presentes na rotina de qualquer pessoa e elas podem te levar ao erro. 

Seja sendo ríspido com alguém ou ignorando a boa educação, não importa o nível e intensidade do erro: saiba pedir desculpas. 

Não fique evitando falar no assunto ou querendo colocar a culpa em outras pessoas. Assuma suas responsabilidades e aprenda com cada obstáculo. 

Muitas vezes é essa prática que vai ajudar a elevar seu Quociente Emocional. 

Inclusive, use esse aprendizado para evitar que suas ações prejudiquem outras pessoas, pensando antes de agir.

Não tenha dúvida de que você pode ir muito além e cabe somente a você ir atrás do seu desenvolvimento pessoal e profissional. 

Todos os dias você pode e deve se reinventar, aprender, motivar e melhorar! Conte com a Ekoá nesse trajeto. Até a próxima!

A Ekoá Jogos e Gamificação tem como propósito elevar a realidade das empresas colocando as pessoas no centro da experiência.

Criamos experiências que fundem o mundo físico e o digital de forma a promover o engajamento e atingimento de objetivos corporativos.

 

 

 

 

2021-11-04T15:58:03-03:00